"O melhor da gastronomia embalado para viagem."

... Cozinhar é também fazer poesia. É abrir ouvidos, olhos, boca e nariz para perceber o que faz sentido entre temperos e medidas. É entrar neste estado de coisas latentes e cavar o silêncio....
Juliana Venturelli

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Mistura fina e o movimento Slow food

Mistura fina faz parte do Movimento Slow food, pois cultiva parte matéria prima utilizada na elavoraçao das conservas e geléias. A matéria prima que não é plantada por nós, no Sítio Abaetetuba, é comprada diretamente de produtores rurais. Procuramos parcerias com os produtores, garantindo uma matéria prima de boa qualidade e um preço justo para o produtor.
Todas as geléias e conservas são produzidas com ingredientes frescos, sem a utilizaçao de conservantes, corantes ou expessantes.
O processamento dos alimentos e feito de forma artesanal e preserva a cultura Européia instalada na
Região de Nova Friburgo, através dos suiços e alemães, da producao de conservas, picles e geléias.
Esta tradiçao é muito presente em países frios, onde se torna necessário pasteurizar e esterilizar alimentos, dentro de potes de vidro para conserva-los por mais tempo, pois a colheita de frutas e legumes, só se realiza durante poucos meses do ano, tornando-se necessário, ampliar a durabilidade dos alimentos para poder consumi-los durante todo o ano.
Existe uma grande contradiçao á respeito da produçao artesanal de alimentos. Alguns valorizam a produçao artesanal de conservas e geléias, porém algumas pessoas tendem a associar, a produçao artesanal como algo feito em casa, sem padrões rígidos de controle e qualidade.
Através deste tempo que venho trabalhando na elaboraçao das receitas, utilizadas, posso dizer que considero as conservas e geléias produzidas por nós, e comercializadas com a marca "Mistura fina"que
são artesanais, porém feitas sobre todos os padrões de exigencia da vigilancia sanitária e de qualidade, através da união de conhecimentos tradicionais e de pesquisas científicas e com a utilizaçaode tecnologias de baixissimo impacto.
Segundo a Wikipédia:
Artesanato é essencialmente o próprio trabalho manual ou produção de um artesão (de artesão + ato). Mas com a mecanização da indústria o artesão é identificado como aquele que produz objetos pertencentes à chamada cultura popular. (Incluo aqui também a produçao de alimentos)
O artesanato é tradicionalmente a produção de caráter familiar, na qual o produtor (artesão) possui os meios de produção (sendo o proprietário da oficina e das ferramentas) e trabalha com a família, realizando todas as etapas da produção, desde o preparo da matéria-prima, até o acabamento final...
Sendo assim, trago uma nota no blog sobre o que é movimento Slow food, e alguns links, de textos interessantes, encontrados no proprio site (http://www.slowfoodbrasil.com.br/)
O movimento Slow food prega principalmente a consciecia na alimentação.
Procure saber de onde vem o que voce está comendo, de que maneira foi plantado e cultivado. Sob quais condiçoes humanas foram produzidos.., Quais foram os impactos ao meio ambiente...
Qual é a energia vital que este alimento possui para te dar..
Seja um consumidor consiente...
A saúde, o corpo e mente e o ambiente agradecem..
Bem-vindo ao Slow Food Brasil!


O Slow Food é uma associação internacional sem fins lucrativos fundada em 1989 como resposta aos efeitos padronizantes do fast food; ao ritmo frenético da vida atual; ao desaparecimento das tradições culinárias regionais; ao decrescente interesse das pessoas na sua alimentação, na procedência e sabor dos alimentos e em como nossa escolha alimentar pode afetar o mundo.
O Slow Food segue o conceito da ecogastronomia, conjugando o prazer e a alimentação com consciência e responsabilidade, reconhecendo as fortes conexões entre o prato e o planeta.


O Movimento Slow Food

Comer é fundamental para viver. A forma como nos alimentamos tem profunda influência no que nos rodeia - na paisagem, na biodiversidade da terra e nas suas tradições. Para um verdadeiro gastrônomo é impossível ignorar as fortes relações entre prato e planeta. Além disso, melhorar a qualidade da nossa alimentação e arranjar tempo para a saborear, é uma forma simples de tornar o nosso cotidiano mais prazeroso. Esta é a filosofia do Slow Food.
Fundado por Carlo Petrini em 1986, o Slow Food se tornou uma associação internacional sem fins lucrativos em 1989. Atualmente conta com mais de 100.000 membros e tem escritórios na Itália, Alemanha, Suíça, Estados Unidos, França, Japão e Reino Unido, e apoiadores em 132 países.
O princípio básico do movimento é o direito ao prazer da alimentação, utilizando produtos artesanais de qualidade especial, produzidos de forma que respeite tanto o meio ambiente quanto as pessoas responsáveis pela produção, os produtores.
O Slow Food opõe-se à tendência de padronização do alimento no Mundo, e defende a necessidade de que os consumidores estejam bem informados, se tornando co-produtores.
É inútil forçar os ritmos da vida. A arte de viver consiste em aprender a dar o devido tempo às coisas.
Carlo Petrini, fundador do Slow Food
A sede internacional do Slow Food é em Bra, na Itália. O Slow Food opera tanto localmente como mundialmente junto de instituições internacionais como a FAO - Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação. Estabelece laços de amizade com governos em todo o mundo, prestando consultoria para o Ministério da Agricultura italiano, trabalhando com o presidente da câmara de Nova Iorque e colaborando com o governo Brasileiro.
Através dos seus conhecimentos gastronômicos relacionados com a política, a agricultura e o ambiente, o Slow Food tornou-se uma voz ativa na agricultura e na ecologia. O Slow Food conjuga o prazer e a alimentação com consciência e responsabilidade. As atividades da associação visam defender a biodiversidade na cadeia de distribuição alimentar, difundir a educação do gosto, e aproximar os produtores de consumidores de alimentos especiais através de eventos e iniciativas.


Confira os artigos:
Mulheres extraordinárias: trajetória de agricultoras/doceiras de Maquiné no Movimento Slow Food-
http://www.slowfoodbrasil.com/content/view/313/95/
“Nós cultuamos todas as doçuras”: a contribuição negra para a tradição doceira de Pelotas -
http://www.slowfoodbrasil.com/content/view/217/95/

A mão da doçura : Quilombolas de Goiás preservam tradição secular da Marmelada Santa Luzia -


Nenhum comentário:

Postar um comentário