"O melhor da gastronomia embalado para viagem."

... Cozinhar é também fazer poesia. É abrir ouvidos, olhos, boca e nariz para perceber o que faz sentido entre temperos e medidas. É entrar neste estado de coisas latentes e cavar o silêncio....
Juliana Venturelli

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Sopa de banana verde


Caros Amigos,
Boa tarde.
Gosto muito do livro chamado "Yes, nós temos banana" da autora Heloísa de Freitas Valle.
O livro é editado pelo Senac e nele podemos encontrar diversas receitas doces e salgadas feitas com a massa da banana verde.

Livro - Yes, Nos Temos Bananas


Particularmente já testei algumas como o pão, o chocolate quente e a sopa.
A massa da banana verde é muito nutritiva e não possui gosto de banana, não é doce nem salgada servindo com o base de muitos pratos saborosos.
Segue aqui a receita de sopa de banana verde adaptada:
  • 6 bananas d'água verdes
  • 3 cebolas médias
  • 5 dentes de alho
  • 2 tablete de caldo de legumes
  • Sal
  • Água
  • Nós-moscada, açafrão á gosto
  • Creme de leite
  • Queijo parmesão ralado



Banana d'água verde


Lavar e cortar as pontas

Cozinhar na panela de pressão por 8 minutos e
descasca-las ainda quentes.
 Cuidado para não se queimar...

Refogar o alho e adicionar a cebola.
 Refogar e tampar, até ficar transparente,
 mexendo para não queimar.

  • Bater no liquidificador, o alho e a cebola refogados, o caldo de legumes, a água e as bananas cozidas.
  • Adicionar o caldo de legumes, nós-moscada e açafráo á gosto.
  • Levar ao fogo até engrossar.
  • Sirva com creme de leite e queijo parmesão ralado.


Está pronta. Hum....


Aproveitamento das sementes de abóbora - hum....

Caros Amigos,
Boa tarde.
Segue uma dica simples de como aproveitar as sementes da abóbora.
Ficam deliciosas como aperitivo.
No curso do Sesc de aproveitamento integral de alimentos me informarão que este processo também pode ser feito com semente de melão.
Como quase não consumimos melão, não tive a oportunidade de comprovar.
Eu costumo fazer as sementes torradas na frigideira, somente com sal ou com sal e especiarias.
Com curry fica uma delícia.
Há quem prefira fazer no forno, mexendo com a colher de pau de vez em quando. Também funciona, mas demora mais.

Retirar as sementes do interior da abóbora.

Lavar as sementes na peneira e coloca-las para escorrer.
Gosto de deixar ao sol para ficarem bem sequinhas...

  • Colocar as sementes lavadas e secas na frigideira e adicionar sal a gosto.
  • Colocar o fogo médio e mexer constantemente com a colher de pau.
  • Pode-se adicionar temperos como curry,pimenta em pó ou massala.


Sementes torradas prontas para o consumo.
Consumir imeditamente pois perdem a crocancia com o tempo.
Bom para ser servido como entrada.



 BOM APETITE!!!

Aproveitamento das folhas e talos de brócolis- hum....

Caros Amigos,
Boa tarde.
Sempre ouvia falar do aproveitamento dos talos de brócolis, couve e agrião.
Um belo dia resolvi experimentar e dei com os burros n'água.
Ficou super fibroso e difícil de mastigar.
Na segunda tentativa fiz diferente: descasquei os talos...
Zaz. Era isso!
Ficou delicioso.
Aqui plantamos brócolis, mas mesmo em época de fartura gosto de aproveitar os talos. Adorei a consistencia e o sabor.
As folhas também são ótimas. Podem ser picadas junto com as flores e os talos em um refogado ou feitas separadamente, cortadas fininhas como couve, no refogado ou na sopa.
Segue aqui o passo a passo.



Mólho de brócolis

Talos com a casca

Talos á esquerda e cascas á direita

Talos de brócolis picadihos ficam iguais a chuchu!

Folhas de brócolis


Folhas de brócolis picadas grosseiramente



BOAS EXPERIÊNCIAS...

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

Processamento



Conserva de pepino agridoce

Morango congelado para a elaboração das geléias


Geléia de morango com pimenta


Tomate seco ao alho com alcaparras

Conservas sendo pasteurizadas


EM BREVE NOVAS FOTOS DO PROCESSAMENTO !!!!

Morangos orgânicos do Sitio Abaetetuba


Morango organico do Sítio Abettuba agora certificados pelo Instituto Biodinâmico e pela Abio



Morangos orgânicos super doces





Morangos organicos do Sítio


Túnel baixo de morango - lavoura antiga


Tuneis baixos de cultivo de morango fechados




Implantaçao da lavoura nova




Lavoura nova com estufa alta





Controle de insetos com raquete


Detalhe do túnel alto por dentro



Detalhe do túnel alto semi-aberto


Flor do morango


Primeiros frutos da lavoura nova



Propriedade vista do alto observa-se o túnel alto



Detalhe da irrigaçao - filtros



Adubos organicos  são colocados na água da irrigaçao e
seguem por gotejamento



Área da próxima lavoura  em descanso
com adubacáo verde (nabo forrageiro)

 
Preparo da terra e controles:
Os canteiros foram feitos á mão.
A adubaçao utilizada foi esterco de frango compostado, farinha de osso e torta de mamona.
Atualmente estamos trabalhando com silicio, bocacher líquido, entre outros.
Nas folhas sâo aplicadas calda bordalesa e sufocálcica.
Como controle biológico estamos utilizando ácaro predador de fungos e de pugões.
O óleo de nim é utilizado para o controle das formigas, e para o controle das lesmas são feitas armadilhas com soro do leite.
Para os insetos utilizamos uma placa entomológica com cola própria para o aprisionamento dos mesmos. O controle manual é feito com raquete elétrica.
As folhas doentes e velhas são retiradas assim como os frutos que apresentam fungos.
Outros tratos também tem sido aplicados.

Conserva de berinjela siciliana


Essa receita é do culinarista Álvaro Rodrigues, adaptada pela aline, do bog delícia dos 30.
Testei a receita e aprovei.
Conhecia uma versão, um pouco diferente, ensinada pela professora Angela Morata como conserva de berinjela siciliana.
Gostei muito da forma como a autora ilustrou o passo a passo, por isto resolvi publica-la.
Segundo a autora:

 "Esta receita  é antiga, mas sempre maravilhosa. A original tinha ainda passas de uva, pimenta dedo de moça e mostarda em grão. Esses 3 ingredientes eu não usei aqui, pois não me agradaram na primeira vez que fiz seguindo tudo à risca. Então essa que apresento é uma versão da Berinjela Picante do Álvaro Rodrigues."

Conserva de Berinjela - PARTE 1: Preparando a berinjela

Rendimento: 2 vidros



4 berinjelas médias cortadas em palitos finos

Sal



Como as berinjelas precisam perder líquido, coloquei um escorredor de macarrão (pode ser uma peneira grande) dentro de uma vasilha, sem que tocasse o fundo dela (sairá bastante líquido da berinjela que não deve ficar tocando o fundo do escorredor).




Descasquei as berinjelas, fatiei-as e depois fiz palitos finos.



Acomodei dentro do escorredor de macarrão - uma camada de berinjela, uma colher de sobremesa de sal, uma camada de berinjela, uma colher de sal... até acabarem as berinjelas. Coloquei um prato de sobremesa no topo de tudo.


O prato servirá de suporte! Explico: Coloquei um pratinho de sobremesa em cima das berinjelas e para fazer peso, pressionar, e ajudar a escorrer o líquido delas, coloquei em cima de tudo a minha chaleira cheia de água :) Macgyver na vida real! Aguardei 2 horas.




Pela foto deu para ver o quanto baixou a altura da chaleira né? Então, é isso mesmo que deve ocorrer. Depois das 2 horas, desprezei o líquido que restou das berinjelas, peguei o escorredor e levei à pia. Lavei bem as berinjelas para sair o sal.


Fui então para a parte final, retirar mais o sal e também o máximo de líquido das berinjelas. Para isso fui pegando porções pequenas, lavando mais e depois espremendo bem entre as mãos. Fica estranho, mas depois fica lindo. Confia!

Pronto, a berinjela já pode ser usada na próxima etapa: o tempero (PARTE 2)!

Continuando a receita, depois de a berinjela preparada (PARTE 1), vamos temperá-la e acomodá-la em
vidros grandes. O rendimento é de 2 vidros bem cheios (para não usar muito azeite eu encho bem de berinjelas, por isso rende só dois).

Conserva de Berinjela - PARTE 2: Temperando a berinjela


Ingredientes:

Berinjelas da PARTE 1

2 cebolas médias cortadas em meia-lua
150g de azeitonas pretas partidas
1 colher de sobremesa de orégano seco
3 dentes de alho em lâminas finas
1/2 xícara de vinagre branco
1 xícara de salsinha picadinha
3 xícaras de Azeite de oliva extravirgem (aproximadamente)
Sal




Aqueci uma xícara de azeite e dourei o alho. Acrescentei a cebola, deixei 2 minutinhos e já coloquei o vinagre. Deixei em fogo alto por 5 minutos.




Acrescentei as azeitonas, o orégano, e a salsinha picada. Deixei mais uns 2 minutinhos.



Acrescentei então a berinjela. Misturei tudo muito bem e desliguei o fogo. A berinjela não precisa cozinhar. Só o calor de todo o resto e todo o processo de espera da parte 1 serão suficientes para que ela chegue ao ponto perfeito.





E está pronta a conserva! Deixei esfriar bem (deixei de um dia para o outro, pois fiz à noite e no outro dia pela manhã concluí), coloquei em vidros fervidos e completei bem com azeite de oliva. Esse é um cuidado importante: o azeite deve cobrir completamente a conserva.



Para diminuir os custos, use metade da quantidade da receita de azeite de oliva, e a outra metade de óleo de girassol. Você pode comer a conserva no mesmo dia do preparo, porém com o passar do tempo ela fica melhor. Se puder, espere uns 2 ou 3 dias!

Essa conserva, acompanhada de um vinho e de algumas torradinhas, em uma bela cesta, é um presente que dificilmente irá decepcionar os amigos! E enfeitando os vidros com tecidinhos fica uma graça! Aproveitem
Receita originária do blog: http://deliciasdos30.blogspot.com.br

terça-feira, 31 de julho de 2012

Cardápio Mistura fina



Gratinado de arroz com abobrinha e queijo parmesão


Antepasto de abobrinha – Este Antepasto italiano de abobrinha “ao dente” é colorido e aromático.
A diversa gama de especiarias e ervas frescas, colhidas no quintal, dão a este antepasto um sabor único.
Acondicionado em azeite virgem que contém propriedades conservantes como a vitamina E, mantendo-o sempre fresco.
Sugestões: acompanha pratos prontos. Apropriado para ser consumido com macarrão, saladas, quiches e sanduíches. Fica saboroso como entrada, servido com torradas.
Pode ser consumido misturado ao arroz e gratinado no forno.
Ótimo para compor refeições rápidas e versáteis

Berinjela Caponata
Antepasto italiano perfumado que recebe o toque brasilieiro da castanha do pará.
Sugestão de uso: Servido como antepasto com italiano ou compondo pratos prontos como saladas e massas.

Conserva de berinjela com torrada


Conserva de berinjela (tipo chutney)- conserva de berinjela marinada, agridoce, perfumada e levemente picante. Conserva de forte personalidade...
Sugestões: Apropriada para preparar deliciosas tábuas de frios e queijos, fondues, saladas, carnes defumadas e carnes exóticas. Pode ser usado para compor entradas acompanhando torradas.
Acondicionada em azeite virgem, que mantém a conserva sempre fresca.
Utilizada para compor pratos prontos.


Geléia de abacaxi com pimenta e lombinho defumado

Geléia de abacaxi com pimenta: geléia cremosa com deliciosa textura. A redução do açúcar na receita permite sentir sabor concentrado do abacaxi. O paladar levemente picante da pimenta confere propriedades afrodisíacas.
Composta por ingredientes naturais e tem como principais agentes conservantes o açúcar e o limão.
Sugestões: Ótima para acompanhar carnes defumadas, porco, frango, carnes exóticas, salsichas alemães, queijo brie, queijo gorgonzola e misturada ao iogurte utilizado em molhos de saladas.

Geléia de morango
Produzida com morangos frescos colhidos no clima aconchegante da serra de Nova Friburgo, a geléia de morango tem uma alta concentração de frutas e reduzida adição de açúcar.
Em cada pote de geléia podemos encontrar X gramas de morango.
Sugestão de uso: Utilizado como cobertura ou recheios de bolos, tortas e biscoitos.
Saboreado com biscoito e pasta de amendoim, bolo, sorvete ou no iogurte natural.
Utilizado na composição de molhos agridoces para saladas e carnes.


Geléia de morango com pimenta, brownie
de chocolate e sorvete


Geléia de Morango com pimenta- Geléia aromática, com aceto balsâmico em sua composição e o paladar levemente picante da pimenta. É possível saborear pedaços inteiros de morango e sentir ao fundo o sabor instigante da pimenta.
Sugestão: ótima para acompanhar carnes grelhadas, defumados, patês e queijos como brie, gorgonzola e provolone.
Na sobremesa, pode ser servido com sorvete de creme, brownie de chocolate e “redução de aceto balsâmico”. Também pode ser saboreado como recheio de pães doces e bolos, conferindo aos amantes da pimenta, uma surpresa agradável...


Molho de tomate cereja com massa fresca
de espinafre e parmesão

Molho de tomate cereja com alho poró- neste molho cremoso de textura deliciosa é possível apreciar os tomates inteiros. A salsa, a cebolinha e o manjericão são o segredo do sabor perfumado do molho. O alho poró confere um sabor inusitado e marcante.
Sugestão: Este saboroso molho versátil é apropriado para ser consumido com massas frescas como fetuccine de espinafre, lasanhas e panquecas. Deve ser servido acompanhado um bom queijo parmesão ralado.
Também pode ser utilizado no preparo de carnes grelhadas, bifes á parmegiana, sanduiches e brusquetas.
Embalagem serve duas pessoas.

Molho de pimenta suave
Molho de pimenta de origem africana, cremoso e aromático.
Sugestão de uso:
No preparo de peixes e frutos do mar, acarajé, carnes, ou nas tortilhas mexicanas.
Para compor pratos prontos como carnes, sopas, saladas e massas.
Servido no país de origem como entrada acompanhando pão e azeitona.
Pasta de tomate seco
Pasta versátil, elaborada com tomate seco, azeite virgem e ervas finas.
A deliciosa textura atende aos paladares mais exigentes.
Sugestão de uso: Consumir com torradas, como molho para pizza ou macarrão, em canapés de massa folheada ou como recheio de salgados e sanduiches


Pizza de tomate seco


Tomate seco ao alho e alcaparras- Tomate seco, macio, temperado com um mix de ervas finas selecionadas que conferem um paladar especial.
A conserva fica acondicionada em azeite virgem mantendo-a saborosa e sempre fresca.
Sugestões de uso: melhor acompanhamento para massas como: pizzas, lasanhas e macarrões.
Saboroso para ser servido com sanduíches de carnes exóticas e defumadas e variados queijos como minas e provolone. Serve como base para mousses e pastas.
Batido no liquidificador é transformado em pasta para ser consumido com mousse de queijo e das formas mais criativas.